Flint fez mosh à vida, Flint fez mosh à morte
Premium

Prodigy

Flint fez mosh à vida, Flint fez mosh à morte

Tirou o techno das raves e injetou-lhe uma boa dose de punk. Além de vocalista dos Prodigy, tinha uma equipa de motos e servia cervejas num bar do bairro onde cresceu. Keith Flint partiu a loiça toda até ao fim.

"Hey, seus filhos da mãe que estão aí a fazer mosh em tronco nu à frente do palco. Estou convosco", disse Keith Flint à multidão que assistiu ao seu último concerto. Foi a 5 de fevereiro, na Trusts Arena de Auckland, Nova Zelândia. Logo a seguir começou a cantar um tema do álbum No Tourists, que os Prodigy lançaram em novembro: "Now/ Turn the flame higher/ We live forever." We live forever - vivemos para sempre

Às 08.10 de segunda-feira 4 de março, a polícia encontrou o corpo de Flint sem vida na sua casa em Brook Hill, no condado de Essex, a noroeste de Londres. Horas depois, a banda confirmava a morte da sua mais proeminente figura. Liam Howlett, que fundou os Prodigy em 1990, estava desolado: "As notícias são verdadeiras. O nosso irmão Keith tirou a sua própria vida neste fim de semana", escreveu no Instagram do grupo.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG