Exclusivo Os portugueses do Dakar: entre pilotos oficiais e puros aventureiros

Motard Paulo Gonçalves é o ponta-de-lança de uma comitiva lusa com 18 nomes, metade dos quais absolutos estreantes.

Quarenta anos depois, o Dakar continua a ser "um desafio para os que vão, um sonho para os que ficam", como definiu o fundador Thierry Sabine em 1979.

Com 11 participações e um segundo lugar no palmarés, Paulo Gonçalves é o mais credenciado dos 18 pilotos e copilotos portugueses que partem para esse 41.º desafio do rali Dakar. Uma edição que, pela primeira vez, se disputa num único país, o Peru, e cujo arranque está marcado para este domingo.

Mas se o motard de Esposende volta ao mais importante rali de todo-o-terreno do mundo para tentar mais uma vez a vitória que lhe tem escapado, a grande maioria dos restantes portugueses vai "apenas" pelo prazer da aventura. Nove deles são estreantes no Dakar e dois vão mesmo competir na categoria mais radical da prova: a Original by Motul, que respeita o espírito original do rali que nasceu em África, há 40 anos (1979).

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG