Loucura de fim de Verão

A ameaça do fim do verão pode levar às maiores loucuras, e foi assim que neste fim de semana dei por mim a praticar o brunch num café do Intendente na companhia de alguns amigos. A rapariga que nos serviu era bonita, mas de parcas palavras, até que a minha amiga Vera resolveu perguntar-lhe se podia trazer torradas com mel. A moça arregalou os olhos e gemeu um ponto de interrogação.

- Uma torrada com mel, é possível?

Espanto, confusão, desespero, tudo em rápida sucessão nos olhos da rapariga.

- I'm sorry, work here three days, no portuguese, ok? Only what is on the menu!

E virou-nos as costas como se a tivéssemos insultado.

A Vera ficou sem as torradas, a moça ficou sem jeito e nós ficámos sem vontade de lá voltar.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.