Premium Refugiados e fake news ressuscitadas em véspera de eleições

Mensagens antirrefugiados, antigeringonça e anti-Costa foram as fake news mais partilhadas na última semana. O risco da desinformação existe, mas será decisivo? O barómetro ISCTE-DN diz que os portugueses não ligam o suficiente à política para que isso aconteça.

A mentira mais "viral", na última semana de campanha, está publicada desde o dia 27 de setembro num dos grupos que mais desinformação difunde em Portugal, o "grupo de apoio ao juiz Carlos Alexandre", no Facebook, que tem mais de cem mil seguidores. Escrita em maiúsculas, por Carlos Ferreira de Oliveira, está a frase: "Vergonha de país, só mesmo em Portugal estes absurdos e roubalheira. Onde quem mais precisa e é português/as nada têm." Seguem-se dezenas de pontos de exclamação e várias linhas de emojis em forma de diabo. A mensagem foi partilhada mais de três mil vezes.

A desinformação é óbvia e tem uma história. Em meados de setembro, a conta de Facebook da atriz Maria Vieira publicou uma mensagem com o mesmo teor: "Racismo em Portugal é: dar 875 euros mensais a um refugiado que está de passagem e 389,34 euros para quem trabalhou com 40 anos de descontos. Isso é racismo!"

Ler mais

Exclusivos