Premium Espanhóis pedem bom senso aos partidos pelo bem do país

Para muitos analistas e eleitores, um acordo entre PSOE e PP, de investidura ou de coligação, seria uma boa opção para sair do bloqueio político em Espanha. Última semana da campanha eleitoral começa hoje.

Mais de seis meses depois das últimas eleições, os espanhóis voltam às urnas, no próximo dia 10. "A única mudança sensível [desde 28 de abril] foi o passar do tempo", afirma ao DN Antonio Papell, analista político e editorialista da agência Colpisa. "Por uma questão de bom senso, os resultados vão ser parecidos. Espanha não é um país de idiotas, as pessoas não mudam assim o seu voto de forma maioritária", sublinha. Por isso, adverte, "Espanha deve sair deste bloqueio, não podemos ir para mais eleições".

No pós-dia 10, vai ser preciso encontrar fórmulas de diálogo, as que não funcionaram da última vez. Há probabilidade de um cenário de acordo entre as forças de esquerda, mas, refere Papell, "convinha um acordo transversal de investidura". O analista lembra que, em 1996, José María Aznar (do PP) ganhou com pouca margem e Felipe González (do PSOE) podia ter governado com os votos da Esquerda Unida e dos catalães da CIU, "mas a questão não se pôs". Agora, acredita, será preciso uma boa solução para sair do bloqueio, não sendo partidário da ideia de uma grande coligação entre PSOE e PP. "Seria um disparate", avisa.

Ler mais

Exclusivos