Premium 4 de Maio celebrado em ano sensível para a China

A 4 de maio de 1919 milhares de jovens universitários afluíram à Praça de Tiananmen, em Pequim, para protestar contra o Tratado de Versalhes.

O centenário do Movimento 4 de Maio é assinalado com pompa e circunstância em Pequim. O líder Xi Jinping elogiou o espírito patriótico e modernizador dos jovens que há cem anos denunciaram a humilhação resultante do Tratado de Versalhes e exigiram democracia e ciência. No entanto, o ambiente nas universidades é de maior controlo ideológico e de prudência num ano marcado por aniversários sensíveis.

É um momento de viragem na história contemporânea da China. Um século depois, o Movimento de 4 de Maio é celebrado quer pelo Partido Comunista da China (PCC) em Pequim, quer pelo Partido Nacionalista (Kuomintang) em Taipé, como dínamo para um novo patriotismo, promoção da democracia e modernidade, numa ainda frágil República da China estabelecida apenas oito anos antes, colocando um ponto final à dinastia Qing e aos ciclos imperiais milenares.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG