Premium Voltar à normalidade na Beira é passar horas numa fila

Os habitantes da cidade da Beira tentam regressar à normalidade depois da passagem do ciclone Idai. Para já, essa normalidade passa por esperar horas para levantar dinheiro ou conseguir água potável.

As filas multiplicam-se no Bairro do Chaimite, um dos 26 que compõem a cidade da Beira. As maiores são junto às caixas de multibanco. As poucas que recuperaram só nesta semana começaram a ter dinheiro com regularidade, uma confusão que os seguranças dos bancos tentam gerir, com grande dificuldade.

Água é o que as crianças mais pedem, também comida e meticais. As ruas estão sujas, há caves com água misturada com lixo, cheiro a fezes, muitas moscas e mosquitos, também árvores tombadas E, indiferentes a isto tudo, continuam os vendedores de rua, bancas com um pouco de tudo, incluindo ovos, à espera de compradores. Elton Messias, 38 anos, passa com colchas penduradas nos braços, roupa de cama enesgada, mas é com estas vendas que tem pago as contas. "A roupa de cama estava num armazém, algumas coisas molharam-se, outras estragaram-se, mas temos de continuar."

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG