Premium 15 mil podiam tomar pílula que previne VIH. Apenas mil tomam

Comprimido de toma diária oferece uma eficácia de 90% na prevenção da transmissão do vírus da sida. Trata-se de uma medicação de uso hospitalar, pelo que a sua utilização é muito inferior ao que é desejável.

Cerca de mil portugueses já tiveram acesso à pílula que previne o VIH, cerca de um ano e meio após o início do programa de acesso precoce à profilaxia de pré-exposição (PrEP) em Portugal. De acordo com os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS), existem neste momento 600 a 700 pessoas integradas na estratégia, mas os números andam longe do que é desejável. Isabel Aldir, diretora do Programa Nacional para a Infeção VIH/Sida, diz que há cerca de 15 mil pessoas que deveriam estar em PrEP e as associações até acham que a medicação deveria ser aplicada em 20 mil pessoas.

"Ainda estamos muito longe de chegar a todos os que podem beneficiar desta estratégia. Mil pessoas é um número claramente insuficiente. Temos de alargar o acesso a mais pessoas", diz a responsável pelo programa da DGS. Para cada pessoa a fazer PrEP existe um "benefício claro", pois a estratégia "é extremamente eficaz" na prevenção do VIH, mas para haver benefícios "em termos de saúde pública temos de chegar a um número maior de pessoas".

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG