Premium Ana Carrasco. A guerreira cor-de-rosa que fez história no motociclismo

A piloto espanhola de 21 anos sagrou-se neste domingo campeã do mundo de velocidade de Supersport 300. Foi a primeira mulher a conseguir tal feito. Curiosamente, começou a escrever a sua história na pista de Portimão, em 2013, quando ganhou a sua primeira prova.

Assim que neste domingo cortou a meta e soube que tinha acabado de ser campeã mundial de velocidade de Supersport 300, Ana Carrasco chorou de emoção, limpou as lágrimas e vestiu uma camisola com a mensagem: Ride like a girl (conduz como uma mulher). A mensagem não podia ser mais clara para aquela que acabara de se transformar na primeira mulher a vencer um mundial de velocidade no motociclismo. Habituada a pilotar entre os homens, desta vez, Ana foi mesmo o carrasco de 39 pilotos (entre eles mais uma mulher: María Herrera).

Antes de se sagrar campeã tinha garantido que trabalhava "para obter resultados como piloto, não como mulher", embora reconhecendo que "sendo mulher os resultados saltam mais à vista" e "isso é importante para abrir portas a outras profissionais". Ana nunca disfarçou o orgulho de ser mulher e ostentou e impôs uns toques cor-de-rosa na moto Kawasaki e no equipamento verde-alface. A guerreira de Cehegín (Múrcia) passou então a ser conhecida como Pink Warrior (a guerreira cor-de-rosa) . A alcunha pegou a ponto de já ser imagem de marca e que dá inclusive nome ao clube de fãs da mais recente campeã de Supersport 300

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG