Premium Yvette Cooper a fazer sombra a Theresa May desde 2011

Deputada trabalhista, de 49 anos, foi a primeira secretária de Estado britânica a tirar licença de maternidade paga, foi ministra-sombra do Interior no tempo em que a ministra do Interior era a atual primeira-ministra e é ela a autora da emenda sobre o Brexit que foi aprovada e permite aos deputados votarem, a 14 de março, sobre uma extensão do artigo 50º.

A 12 de março de 2013, Gaby Hinsliff escrevia, no The Guardian, um artigo intitulado "Será uma mulher a próxima primeira-ministra britânica?". A ilustrar o artigo estavam duas mulheres, Theresa May e Yvette Cooper, que na altura eram, respetivamente, ministra do Interior no governo conservador de David Cameron e ministra-sombra do Interior. Hoje têm 62 e 49 anos. No Reino Unido, o maior partido da oposição escolhe um governo-sombra, em que por cada ministro do Executivo em funções existe um opositor com a mesma pasta que ele detém.

May era ministra do Interior desde 12 de maio de 2010 quando Cooper se tornou, a 20 de janeiro de 2011, ministra-sombra do Interior. A trabalhista deixou a pasta entretanto, a 12 de setembro de 2015, para disputar a liderança do Partido Trabalhista, que foi então ganha por Jeremy Corbyn. A conservadora deixou o Ministério do Interior, no ano seguinte, a 13 de julho de 2016, para suceder a David Cameron na chefia do governo do Reino Unido. Efetivamente, como previra Hinsliff, o próximo inquilino do n.º 10 de Downing Street foi, efetivamente, uma mulher. A razão por que isso aconteceu, a vitória do Brexit no referendo prometido por Cameron e realizado a 23 de junho de 2016, é também, em grande parte, a razão pela qual os caminhos de May e Cooper se voltaram agora a cruzar na Câmara dos Comuns.

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG