Premium 4,4 milhões de euros para estudar dor esquelética. Portugal entre os financiados

Meriem Lamghari, investigadora do i3S, é a responsável pela participação portuguesa no projeto BonepainII, no qual estão integrados mais cinco países. Há mais de 20 anos que se dedica ao estudo do sistema esquelético.

Afetam milhões de pessoas em todo o mundo e são altamente debilitantes, mas ainda não foram desenvolvidos tratamentos eficazes para as combater. Vários cientistas têm vindo a estudar as dores ósseas, associadas às artroses, fraturas causadas pela osteoporose, doenças raras ou metástases ósseas, mas os resultados têm sido limitados. Agora, o projeto europeu BonepainII, que o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S) integra, foi financiado pela União Europeia em 4,4 milhões de euros com vista à formação de 15 jovens especialistas no estudo da dor óssea e no desenvolvimento de novas terapias.

Em comunicado, o i3S explica que a BonepainII é uma rede europeia de formação inovadora (ITN) destinada a promover a investigação, inovação e educação na área da dor esquelética e conta com a participação de seis países europeus, englobando oito grupos de investigação e quatro empresas.

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG