Municípios já integraram quase 2 mil precários

O número de funcionários públicos aumentou 1,6% no terceiro trimestre. São mais dez mil pessoas a ingressarem no Estado em relação a 2017.

Os municípios aumentaram o número de funcionários no terceiro trimestre. De acordo com a Síntese Estatística do Emprego Público divulgada ontem, a 30 de setembro existiam mais 1878 trabalhadores do que um ano antes. A variação explica-se em boa parte com a integração dos precários.

"O aumento de emprego, no trimestre, na administração local (2,1%) decorre, em particular, do acréscimo de emprego nos municípios, resultante essencialmente do aumento de postos de trabalho ocorrido nas carreiras de assistente operacional, assistente técnico e técnico superior, em consequência do processo de regularização extraordinária de vínculos precários na administração local", lê-se no relatório divulgado pela Direção-Geral da Administração e Emprego Público (DGAEP).

Para a administração central não existem dados desagregados sobre a integração de precários, apesar de terem sido abertos vários concursos no âmbito do programa específico lançado pelo governo em 2017 e que arrancou neste ano.

Um dado a ter em conta é a diminuição do número de contratos a termo na administração central que registou uma quebra superior a 4% no terceiro trimestre deste ano, face a igual período do ano passado.

Mais funcionários públicos

No final de setembro deste ano existiam 671 082 funcionários públicos, o que corresponde a um aumento de 1,6% face a igual período de 2017. Significa um acréscimo de mais de dez mil pessoas a ingressarem no Estado.

Em termos de volume, os técnicos superiores foram os que mais engrossaram as fileiras dos funcionários públicos. Face a 2017, entraram mais 2577 pessoas, seguiram-se os assistentes operacionais (2464) e no mesmo período entraram mais de 1300 enfermeiros.

Em termos da variação trimestral em cadeia, regista-se uma diminuição do número de funcionários públicos, com menos 4045 postos de trabalho. A DGAEP explica esta oscilação com a mudança de ano letivo e "os processos de colocação dos docentes contratados para as atividades de enriquecimento curricular nos ensinos básico e secundário" e que ainda estão a decorrer no final do terceiro trimestre.

Também no Ministério da Saúde se registou uma diminuição no número de funcionários públicos explicada pela "mudança de estatuto do Centro Hospitalar do Oeste que passou de Instituto Público para Entidade Pública Empresarial integrada no conjunto do Setor Empresarial do Estado", refere o relatório da Direção-Geral.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras