Venda de tabaco para cachimbo de água mais do que duplicou no ano passado

As associações do setor mostram-se surpreendidas com este crescimento

Quando os cigarros ou o tabaco de enrolar ficam mais caros, a procura de outros tipos de tabaco aumenta. Esse é o caso do tabaco para cachimbo de água, cujas vendas mais do que duplicaram (+136%) em 2016.

As associações do setor mostram-se surpreendidas com este crescimento. "Nós não vendemos tabaco para cachimbo de água. Esse fenómeno passa-nos ao lado. E não conheço qualquer local, no Porto ou em Lisboa, que tenha esse tabaco", afirma João Belo, presidente da Associação Nacional dos Grossistas de Tabaco.

"Vendemos cada vez mais, uma vez que o tabaco para shisha é melhor para saúde do que o cigarro. O cancro vitima muitas famílias e as pessoas procuram algo mais saudável. Em Lisboa, onde a comunidade muçulmana é maior, as vendas deverão ser superiores. Mas há muitos portugueses a aderir, sobretudo depois de visitarem países como Marrocos ou Tunísia", afirma Filipe Guedes, dono de uma loja no Porto, que vende tanto o tabaco como os cachimbos de água.

"A ideia de que fumar cachimbo de água é menos prejudicial para a saúde é um engano, quanto a mim, e até mesmo o fumo passivo é danoso para as pessoas circundantes aos fumadores. As sessões de shisha são mais longas e as quantidades de fumo consumidas e libertadas para o ambiente são muito consideráveis", afirma José Reis Ferreira, cardiologista.

O cigarro eletrónico é outra opção para os fumadores, embora ainda não figure nas estatísticas da Autoridade Tributária. No entanto, o Ministério das Finanças revelou ao DN/Dinheiro Vivo que, só no ano passado, foram vendidos 495 litros de nicotina em líquido, muito acima dos 57,96 litros de 2015. No entanto, o ministério diz que os anos não são comparáveis, uma vez que os comerciantes puderam, a partir de janeiro de 2015, escoar todo o stock existente à data sem a obrigação de pagamento de imposto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG