Venda de carros com maior travagem de sempre em abril

Mercado automóvel nacional recuou 84,6% em abril por causa do fecho de concessionários, superando registo negativo de fevereiro de 2012.

A venda de automóveis em Portugal registou a maior travagem de sempre no último mês. Em abril, foram comercializados apenas 3803 veículos, uma diminuição de 84,6% em comparação com o mesmo mês de 2019.

Esta quebra superou a diminuição verificada em fevereiro de 2012, de 52,3%, quando Portugal estava sob resgate da troika, segundo os dados adiantados esta segunda-feira pela ACAP - Associação Automóvel de Portugal.

O segmento de ligeiros de passageiros sentiu a travagem mais forte do mercado, num mês em que todo o comércio automóvel esteve encerrado por causa do decreto do estado de emergência em Portugal. As vendas neste segmento caíram 87% em abril, para 2749 unidades.

A Peugeot liderou a tabela, com 332 matrículas, seguida da Mercedes (311 matrículas) e da BMW (264 registos). Só para ter uma ideia do descalabro do mercado, no mesmo mês de 2019 a Peugeot registou 2510 automóveis e ficou no segundo lugar. A habitual líder de vendas, a Renault, só matriculou 237 veículos em abril deste ano.

O comércio de ligeiros de mercadorias registou a menor quebra, de -69,9%, para 948 unidades. Nos veículos pesados, a diminuição das vendas foi de 72,7%, para 106 matrículas, menos 72,7% na comparação com o mesmo mês de 2019.

Entre janeiro e abril de 2020, foram vendidos 56 744 automóveis, menos 39,8% do que no mesmo período de 2019.

Os concessionários de automóveis só puderam ser reabertos, sem restrições, esta segunda-feira, 4 de maio, após o fim do estado de emergência, que vigorou durante mês e meio.

A ACAP tem exigido várias medidas junto do Governo para compensar as empresas do sector pelos estragos causados pelo novo coronavírus. O regresso do programa de incentivo ao abate para veículos novos e usados e a suspensão do pagamento do imposto único de circulação para carros em stock são as principais propostas.

(Notícia atualizada às 16h40 com mais informação)

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG