Uber espiava iPhones até que a Apple lhe deu um ultimato

O caso relatado pelo The New York Times remonta a 2015 e motivou uma reunião entre o patrão da Apple e o fundador da Uber

A Uber espiou e tagou iPhones mesmo depois da aplicação ter sido retirada dos terminais, uma manobra que viola as diretrizes da Apple. A companhia liderada por Tim Cook detetou o caso e em 2015 e chamou o presidente da Uber, Travis Kalanick, para uma reunião, relata o The New York Times, num artigo de perfil do fundador da aplicação de transporte.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG