Turismo de aldeia. Quando a vida volta a bater à porta das casas em ruínas

Levam os citadinos a experimentar a paisagem e as tradições e a conhecer os locais. E levam a vida - e o movimento - de volta às aldeias.

No dia em que ouviu um dos vizinhos da aldeia falar nos planos para picar as paredes de casa e deixar a pedra antiga à vista, Anabela Costa, 56 anos, percebeu que o esforço feito desde 2012 teve impacto. Com a família e um trabalho estável em Lisboa, Anabela decidiu que queria investir as economias a comprar e recuperar as casas em ruínas do Bairro do Casal, aldeia de Murça, depois de uma visita à terra onde a mãe tinha nascido.

Exclusivos