Subsídio de desemprego para vítimas de violência doméstica avança já

A medida prevê o alargamento do subsídio de desemprego às vítimas de violência doméstica a quem seja atribuído o estatuto de vítima e será regulamentada uma vez que entre em vigor o Orçamento do Estado para 2022.

Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, afirmou esta quinta-feira que a extensão do subsídio de desemprego às vítimas de violência doméstica será regulamentada logo após entrar em vigor o Orçamento do Estado para 2022.

Esta posição foi transmitida por Ana Mendes Godinho em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, em que foi aprovada a proposta de lei referente à Agenda para o Trabalho Digno.

"Em matéria de extensão do subsídio de desemprego para vítimas de violência doméstica, a medida será regulamentada uma vez que entre em vigor o Orçamento do Estado para 2022", declarou a titular das pastas do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A seguir, Ana Mendes Godinho acentuou essa garantia do seu executivo: "Quando entrar em vigor o Orçamento do Estado assim o faremos".

A extensão do subsídio de desemprego para vítimas de violência doméstica partiu de uma proposta do Livre no âmbito da discussão do Orçamento do Estado para 2022.

Esta proposta, que prevê o alargamento do subsídio de desemprego às vítimas de violência doméstica a quem seja atribuído o estatuto de vítima, foi aprovada apenas com os votos contra do Chega, abstenções de PSD e PCP e votos favoráveis de todas as restantes bancadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG