Sérgio Monteiro vai liderar a venda do Novo Banco

Secretário de Estado dos Transportes vai integrar o Fundo de Resolução do Banco de Portugal

O secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, Sérgio Monteiro, vai liderar a venda do Novo Banco, avançou o jornal Público na sua edição online.

De acordo com o jornal, Sérgio Monteiro não transita para o Executivo de Pedro Passos Coelho, que toma posse na sexta-feira, e vai integrar o Fundo de Resolução, entidade que está a gerir o processo de venda do banco que resultou do colapso do Banco Espírito Santo (BES).

O banco central justificou a decisão afirmando que "a complexidade e os desafios associados ao processo da venda do Novo Banco" levaram à "necessidade de encontrar um responsável de reconhecido mérito e elevada experiência em operações desta natureza que pudesse assegurar a coordenação e gestão de toda a operação, incluindo o acompanhamento do programa de transformação a implementar pelo Novo Banco, que é condição essencial para a sua venda".

O atual Secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicação vai então "assumir a responsabilidade de PMO (Project Management Office) do projeto, estando prevista a sua contratação pelo Fundo de Resolução em articulação com a Associação Portuguesa de Bancos".

Monteiro tem estado à frente de alguns dos dossiers mais mediáticos e polémicas do Governo de coligação, nomeadamente a privatização da TAP e a concessão dos transportes públicos. Segundo o Público, irá manter o vínculo à Caixa Geral de Depósitos e transita para o Fundo de Resolução, cuja missão é "prestar apoio financeiro à aplicação de medidas de resolução adotadas pelo Banco de Portugal". O seu contrato, acrescenta o Expresso, durará até à venda do banco.

Sérgio Monteiro é licenciado em Organização e Gestão de Empresas pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, tem pós-graduação em Ciências Empresariais e o Curso de Especialização em Finanças do ISCTE. No seu currículo no site do Governo, refere-se que foi" membro do Grupo de Trabalho para a reavaliação das Parcerias Público-Privadas (PPP) e Concessões, bem como de diversas organizações internacionais na área financeira", e exerceu "diversos cargos de direção na área da banca e transportes".

A venda do Novo Banco arrancou em dezembro de 2014 mas foi adiada, em setembro passado, para depois das eleições legislativas. O processo estava em fase de negociação com os três finalistas, Anbang, Fosun e Apollo, mas as negociações falharam e deverão ser retomadas em novembro, depois dos testes de stress europeus à banca.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG