Sanções. Ministro das Finanças alemão interveio a favor de Portugal e Espanha

Jornal alemão garante que Wolfgang Schäuble fez telefonemas para comissários europeus pedindo-lhes que não sancionassem os dois países

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, foi uma das vozes críticas que se levantaram quando a Comissão Europeia decidiu adiar a decisão sobre a aplicação de eventuais sanções a Portugal e Espanha. O ministro das Finanças alemão chegou a afirmar que o objetivo das sanções ao dois países, por ausência de medidas eficazes para corrigir os défices, não tinha como objetivo "castigar" Portugal e Espanha, mas sim "incentivá-los" a atuar.

Porém, ao contrário do que seria esperado, o ministro das Finanças alemão não pressionou a Comissão Europeia no sentido de abrir um processo de sanções aos dois países: segundo o diário alemão Handelsblatt, que cita fontes diplomáticas da União Europeia, Schäuble terá telefonado aos comissários europeus pedindo-lhes que evitassem penalizações.

Segundo o Handelsblatt, o ministro das Finanças alemão telefonou inclusivamente a a Günther Oettinger, o alemão que é comissário europeu para a Economia Digital, para fazer lóbi a favor de Portugal e Espanha. Algumas chamadas terão sido feitas em conjunto com o seu homólogo espanhol, Luís de Guindos, durante o encontro de ministros do G20 na China.

Depois de uma tensa reunião de três horas, a Comissão Europeia decidiu esta quarta-feira não propor multas aos dois países, no quadro do processo de sanções devido ao défice excessivo, mas sim insistir em metas orçamentais mais duras. O comissário Valdis Dombrovskis anunciou a decisão, em conferência de imprensa em Bruxelas, lembrando os esforços feitos nos últimos anos pelos dois países, os argumentos apresentados pelos respetivos governos e ainda os desafios económicos que estes enfrentam. "Tendo em conta os esforços de Espanha e Portugal o colégio decidiu cancelar as multas a Espanha e Portugal", disse Dombrovkis.

Exclusivos