Restaurantes dos EUA com dificuldades em contratar aumentam salários de urgência

"Os clientes estão a regressar mais depressa do que os restaurantes podem contratar". Aumentos salariais são forma de tentar atrair mais candidatos.

Os proprietários de restaurantes e lojas estão a aumentar os salários de forma urgente, para procurar atrair mais candidatos e ter capacidade de resposta ao fluxo de clientes, quando as restrições provocadas pela pandemia estão a diminuir.

McDonald's, Sheetz e Chipotle são apenas algumas das empresas que acabaram de seguir os exemplos de Amazon, Walmart e Costco a aumentar salários, em alguns casos para 15 dólares por hora, ou mais.

Os aumentos salariais são boas notícias para estes trabalhadores. Restaurantes, bares, hotéis e lojas permanecem as atividades que mais baixo pagam, enquanto muito dos seus trabalhadores correram o risco de infeção com o novo coronavirus, enquanto os empregados de colarinho branco são capazes de trabalhar a partir de casa.

Autoridades estaduais e de autarquias estão a aliviar restrições à atividade socioeconómica, à medida que as mortes e as infeções devidas ao novo coronavirus estão em baixa, e em Estados como Florida, Nevada e Texas o movimento em restaurantes está acima ou próximo dos níveis pré-pandemia.

Muitas empresas dizem que estão com problemas em encontrar trabalhadores. "Os clientes estão a regressar mais depressa do que os restaurantes podem contratar", disse Josh Bivens, diretor de investigação do Instituto de Política Económica. "Ao aumentarem os salários, são capazes de contratarem mais trabalhadores", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG