Receita encolhe défice para os 576 milhões de euros

Défice melhorou em 1424 milhões de euros nos primeiros oito meses deste ano, fazendo o saldo global cair para um valor de -576 milhões de euros.

A contribuir para esta redução do défice até agosto (os dados até julho revelaram um desequilibro de -2624 milhões de euros) esteve o ritmo de crescimento da receita (5,1%), que superou o da despesa (2,2%), e o facto de não estarem a ser contabilizados 913 milhões de euros que envolvem operações relacionadas com o Novo banco e Lesados do BES.

Os dados divulgados esta terça-feira pela Direção Geral do Orçamento sobre a execução orçamental entre janeiro e agosto deste ano refletem um apuramento de contas em contabilidade pública (que funciona em ótica de caixa). É isto que explica que a evolução do défice até agosto não tenha em conta a injeção de 792 milhões de euros no capital do Novo Banco nem os 121 milhões de euros que foram pagos pelo fundo de recuperação de créditos no âmbito do processo dos chamados Lesados do BES.

Este efeito será tido em conta quando for feito o apuramento em contabilidade nacional (que funciona na ótica de compromisso), a que é relevante para Bruxelas.

Exclusivos