Querem exumar corpo de fundador de empresa de criptomoedas para garantir que é mesmo ele

Representantes dos utilizadores da QuadrigaCX, a maior empresa canadiana de câmbio de criptomoedas, querem a exumação do fundador da plataforma, cuja morte repentina bloqueou o acesso a cerca de 180 milhões de dólares canadianos em moedas digitais como a Bitcoin.

Advogados que representam utilizadores da plataforma digital canadiana QuadrigaCX pediram às autoridades para que se proceda à exumação do fundador da empresa para garantir que se trata mesmo dele. Tudo porque com a morte repentina de Gerald Cotten, de 30 anos, os utilizadores deixaram de ter acesso a milhões de dólares em moedas digitais como Bitcoin, Ethereum e Litecoiun, entre outras.

Cotten morreu em dezembro do ano passado quando estava a viajar para Índia devido a complicações da doença de Crohn. Ele era a única pessoa com acesso às palavras-passe das carteiras digitais que teriam cerca de 180 milhões de dólares canadianos (cerca de 135 milhões de euros).

Após a morte de Gerald Cotten, a plataforma QuadrigaCX, que tinha cerca de 115 mil utilizadores, foi incapaz de localizar ou de garantir uma quantidade significativa de reservas financeiras de criptomoedas. Após a morte prematura de Cotten, a empresa emitiu um comunicado em que dá conta do encerramento da atividade, por falta de liquidez, e de um pedido de proteção a credores que deu entrada no Supremo Tribunal de Nova Escócia, no Canadá.

Jennifer Robertson, viúva do fundador da empresa, disse no seu depoimento que recebeu ameaças online e "comentários difamatórios", nomeadamente insinuações de que se poderá tratar de uma fraude, sendo colocada em causa a morte de Cotten.

Quando se soube do desaparecimento do fundador da QuadrigaCX surgiram rumores de que ele teria encenado a sua própria morte para fugir com os fundos da empresa.

"O objetivo desta carta é solicitar, em nome dos Utilizadores Afetados, que a Real Polícia Montada do Canadá (RCMP) realize uma exumação e autópsia post mortem ao corpo de Gerald Cotten para confirmar a sua identidade e a causa da morte,dadas as circunstâncias questionáveis ​​em torno da morte de Cotten e as perdas significativas dos Utilizadores Afetados", lê-se no documento, com a data de 13 de dezembro, publicada no site da empresa de advogados Miller Thomson.

A carta solicita que a exumação e autópsia sejam concluídas até à primavera, devido à decomposição do corpo de Cotten.

Jennifer Robertson fez saber, através de um comunicado divulgado pelo seu advogado, que está "de coração partido" ao saber deste pedido. Afirmou que a morte do marido não devia ser colocada em causa e acrescentou que não é claro que a sua confirmação possa ajudar "o processo de recuperação de ativos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG