Quatro municípios agravam pagamentos em atraso. Penafiel foi o pior

Pagamentos em atraso aumentaram desde o início do ano, mas ainda estão melhores que em 2017. Há quatro câmaras em situação de rutura financeira.

Os pagamentos em atraso nas autarquias aumentaram no primeiro semestre deste ano, quebrando a evolução positiva que vinha a registar-se desde meados de 2017. "O stock de pagamentos em atraso tem vindo a aumentar desde o início do ano (+11 milhões de euros, depois da queda de 50 milhões em 2017), tendo-se mantido estável na segunda metade do semestre", observa o Conselho de Finanças Públicas (CFP) no relatório da Execução Orçamental da Administração Local, referindo, contudo, uma melhoria global homóloga.

A câmara que mais contribuiu para este agravamento foi a de Penafiel. "A maior variação ocorreu no Município de Penafiel com um aumento de quase cinco milhões de euros desde o início do ano, tendo-se observado também aumentos superiores a um milhão de euros nos Municípios de Lamego, Ourique e Vila Real de Santo António" assinala o relatório divulgado esta quinta-feira. No sentido contrário, Paços de Ferreira conseguiu uma redução de cerca de três milhões de euros o que poderá dever-se ao recurso à assistência financeira do Fundo de Apoio Municipal (FAM) já este ano.

O município da Nazaré continua, à semelhança do final do ano passado, a ser a câmara com mais pagamentos em atraso, tendo agravado o montante em dívida vencida face ao final de 2017.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG