PT manda trabalhadores sem funções para casa

Autoridade das Condições de Trabalho havia detetado infrações na empresa relacionadas com a violação do dever de ocupação efetiva

A PT comunicou a mais de uma centena de trabalhadores sem funções que não estão obrigados a comparecer no local de trabalho, avança hoje o Público. Segundo este jornal, um despacho assinado pela diretora de recursos humanos autoriza, "a título excecional e temporário, a dispensa de assiduidade".

Esta dispensa, que os trabalhadores podem ou não aceitar, está em vigor a partir de segunda-feira, dia 16, e durante três meses, ou seja, até 15 de janeiro do próximo ano.

A PT disse ao Público que "as soluções encontradas pela empresa passam por: encontrar funções para os trabalhadores em causa, propor condições vantajosas de saída e dar dispensa de assiduidade até se conseguir encontrar o enquadramento adequado".

A Comissão de Trabalhadores, por seu lado, defendeu ao jornal que a empresa tem de explicar quais são os seus objetivos.

A Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) havia detetado infrações na empresa relacionadas com a violação do dever de ocupação efetiva. De acordo com o documento preparado pela ACT - "Ponto de situação de intervenção inspetiva à Meo" -, as diversas queixas recebidas por esta autoridade levaram-na a desencadear várias inspeções à empresa entre janeiro e julho de 2017.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG