Portugueses trocam depósitos a prazo por contas à ordem

Com taxas de juro perto dos 0%, os aforradores optam por colocar o dinheiro em contas à ordem, que podem ser movimentadas sem restrições.

O peso dos depósitos à ordem nunca foi tão alto. As poupanças, alertam os analistas, estão a perder poder de compra por causa da inflação. Os portugueses estão a fugir dos depósitos a prazo e a colocar o dinheiro em contas à ordem ou em aplicações financeiras alternativas, uma vez que as taxas de juro estão a cair a pique e os bancos pagam hoje pouco mais de 0%. Se em 2008, o montante aplicado nos depósitos a prazo podia render um juro de 4,66%; hoje a taxa é de 0,12%, um novo mínimo histórico.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG