Peso dos salários no rendimento das famílias atinge máximo de seis anos

Taxa de poupança foi de apenas 5,1% do rendimento disponível no 1º trimestre, um dos registos mais baixos dos últimos anos, diz o INE.

O peso dos salários no rendimento disponível bruto das famílias residentes em Portugal atingiu, em termos acumulados (no ano que termina no primeiro trimestre de 2018), 64,8%, o maior valor dos últimos seis anos. Já o peso dos rendimentos do capital está estável nos 33,8%, indicam cálculos do DV com base em dados ontem divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) nas contas nacionais por sector institucional.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG