Paulo Macedo: CGD vai ter "casa nova" dentro de 3 ou 4 anos

O presidente executivo da CGD revelou que o banco deve abandonar as atuais instalações dentro de quatro. O Governo será o novo "inquilino" da atual sede do banco. Sobre o novo diploma para renegociar o crédito da casa, alerta que é preciso ter cuidado com as nuances do diploma.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) deverá sair da atual sede, em Lisboa, dentro de 3 ou anos. A revelação foi feita pelo presidente executivo do banco público esta quinta-feira na Money Conference.

"Como já foi divulgado, há intenção de o Governo ficar com a sede da Caixa", o que, na opinião de Paulo Macedo, faz todo o sentido tendo em conta o tamanho das instalações.

Questionado sobre se já tinha uma nova casa, explicou que "é um processo gradual que demorará 3 ou 4 anos". "A nossa preocupação é arrumar o que vai ser o futuro da Caixa em termos de libertar o resto do edifício que é desajustado para o banco".

Sobre o novo decreto aprovado pelo Governo que obriga os bancos a renegociaram os créditos à habitação das famílias que estejam com mais dificuldades, Paulo Macedo considera que "o diploma é útil", mas alerta que "tem de se ter cuidado com nuances que podem ser bastante discutíveis", como por exemplo o limite máximo de 300 mil euros nos contratos.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG