"Parem a tortura financeira e fiscal a Portugal e Espanha"

O movimento criado pelo antigo ministro das Finanças grego publicou um texto em que afirma que as sanções apenas vão agravar a crise

O movimento criado por Yanis Varoufakis publicou uma mensagem dirigida a Berlim e Frankfurt em que "exige que a Comissão Europeia pare com as ameaças de castigar o governo espanhol e português". Segundo o Movimento para a Democracia na Europa 2025 (DIEM25), as "medidas punitivas" apenas vão "agravar a crise económica destes países" e aumentar o sentimento"anti-europa".

A mensagem surge no dia em que seria tomada uma decisão sobre as possíveis sanções da Comissão Europeia à Península Ibérica. A decisão foi adiada mais uma vez mas já se fala de uma suspensão de fundos comunitários.

"Parem a tortura financeira e fiscal a Itália, Espanha e Portugal já!", escreve o partido criado pelo antigo ministro das Finanças grego, numa nota publicada no seu site.

"Bruxelas está a ameaçar Espanha e Portugal com a retirada, ou suspensão, de fundos estruturais, porque os seus orçamentos nacionais ultrapassaram outro marco impossível de implementar e sem sentido do ponto de vista macro-económico", continua.

A mensagem surge exatamente na data de aniversário do referendo na Grécia, em que a população teve a oportunidade de discutir se aceitava as reformas impostas pelo FMI e pela União Europeia.

Varoufakis criticou também a posição da comissão em relação à Itália. "A maioria dos bancos italianos está em risco", afirma o partido pan-europeu, e a comissão está a insistir que seja feito um "bail in" ao banco Monte dei Paschi di Siena.

Várias pessoas da classe média que compraram dívida sem saber que o estavam a fazer poderão perder as suas poupanças caso este "bail in" se realize. "Eles não diriam isto se fosse um banco alemão ou holandês", escreve o DIEM25.

"A União Europeia será democratizada e as suas políticas económicas serão humanizadas. Senão, irão desintegrar-se", conclui o comunicado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG