Os desafios de Centeno se vencer a corrida à presidência do Eurogrupo

Centeno terá de conciliar o desafio às regras europeias como ministro das Finanças e a defesa das mesmas regras como presidente do Eurogrupo

Sem grande surpresa, Mário Centeno, o ministro das Finanças português, anunciou ontem que está na corrida à presidência do Eurogrupo. E aparece como favorito, à frente da letã Dana Reizniece-Ozola, do luxemburguês Pierre Gramegna, e do eslovaco Peter Kazmir, tendo conseguido o apoio dos líderes europeus, de acordo com o Financial Times. O "Ronaldo do Ecofin", como lhe chamou o ministro alemão Wolfgang Schäuble, promete dar um "contributo construtivo, crítico às vezes" para a construção europeia e reforço do bloco do euro. A candidatura portuguesa procura estabelecer consensos e "reunir todos" à volta dos desafios que a moeda única europeia enfrenta, defende António Costa, que se multiplica em contactos de última hora para garantir a eleição.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG