Organismos públicos gastaram 442 milhões em novembro

Despesa baixou 14 milhões face ao período homólogo mas o número médio de contratos em 2016 já é o maior desde 2014

Menos contratos, menos despesa e muitos ajustes diretos. Só no mês de novembro, foram publicados por organismos públicos 9775 contratos de aquisição de bens e serviços e de empreitadas de obras públicas, no valor global de 442 milhões de euros. Estes números representam menos 2130 contratos e menos 14 milhões da despesa contratada face a igual período do ano anterior, de acordo com a Síntese Mensal da Contratação Pública, divulgada recentemente pelo Instituto dos Mercados Públicos, do Imobiliário e da Construção (IMPIC).

Apesar desta descida em novembro, "o ano de 2016 apresenta, até ao momento, o melhor número médio (9493 contratos), contra 9372, em 2015, e 7905 contratos, em 2014", revela a síntese mensal. A grande maioria (8362) dos contratos publicados diz respeito à aquisição de bens e serviços (86% do total), já que de empreitadas foram apenas 1395 (14%). Em termos de valores, o primeiro grupo representou 263,3 milhões de euros e o segundo ficou pelos 177,9 milhões de euros.

Em termos homólogos, os dados indicam que os encargos em bens e serviços diminuíram 83 milhões, enquanto os das obras públicas subiram 68 milhões de euros. O documento revela ainda que o procedimento mais utilizado foi o ajuste direto (8456), ou seja, em 87% do total dos contratos. A seguir surgem os acordos--quadro (722), os concursos públicos (575) e os concursos limitados com prévia qualificação (22).

Do ponto de vista da despesa, o peso dos procedimentos é, praticamente, igual ao dos ajustes diretos. O valor dos concursos públicos totalizou 195 milhões de euros, enquanto os ajustes diretos se situaram nos 190 milhões, valores muito semelhantes. Foram ainda contratualizados mais 44 milhões em acordos-quadro e 13 milhões em concursos limitados com prévia qualificação. Os dados relativos aos contratos englobam os publicados no portal Base durante o mês em análise, "independentemente de terem sido celebrados nesse mês ou em meses anteriores", refere a nota explicativa do IMPIC, salientando ainda que os números apresentados não abrangem os ajustes diretos simplificados nem a contratação excluída da Parte II do Código dos Contratos Públicos.

O contrato mais elevado (nove milhões de euros) em novembro é referente à aquisição de energia elétrica por um período de três anos e foi assinado entre a Câmara de Loulé e a EDP Comercial. A síntese mensal de novembro, a segunda divulgada pelo IMPIC, revela ainda que foram publicados em Diário da República 955 anúncios de abertura de concursos de aquisições de bens, serviços e empreitadas que totalizam 365 milhões de euros Este é o maior número de anúncios publicados desde janeiro de 2014, um número que representa um acréscimo de 182 anúncios e 64 milhões de euros em relação a outubro. Em termos homólogos, foram mais 185 anúncios e 91 milhões relativamente a novembro de 2015.

Os dados relativos aos anúncios publicados em Diário da República apenas contemplam os procedimentos com publicidade (concurso público e concurso limitado por prévia qualificação). O relatório do instituto que gere o portal Base refere ainda que se verifica desde julho "um crescimento contínuo do número de contratos publicados, em linha com os anúncios publicados no Diário da República".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG