Opinião. Eu quero a minha MTV

A MTV, até ao momento, não conseguiu captar o nível de influência online que lhe permita competir com as plataformas de vídeo

Se o vídeo matou a estrela de rádio, o YouTube assinou a ordem de execução dos canais de música. Alguém se lembra do Viva? O Sol Música? As tardes inteiras a ver o Top+ e o contrarrelógio para chegar a tempo do TRL na MTV? A transformação radical da indústria da música está quase completa, duas décadas depois do movimento que a espoletou - os sites de partilha P2P que levaram à implosão das vendas e a ascensão dos sites de vídeo, entre os quais o YouTube reina sem competição. Em 2016, as receitas da indústria tiveram a sua maior subida em mais de 15 anos, 7%, atingindo os 16,1 mil milhões de dólares. Um terço deste valor foi gerado pelos serviços de streaming, que encontraram finalmente o formato certo para levar os utilizadores a pagarem. O que falta agora é perceber como é que o canal de televisão onde se elevou o estatuto do vídeo de música a uma forma de arte vai sobreviver nesta nova era.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG