País cresce 2,2%, desemprego cai para 6,3% e dívida para 117%

Taxa de desemprego de 2019 deve ser revista em forte baixa face há seis meses, de 7,2% para cerca de 6% da população ativa, dizem dados provisórios.

O Orçamento do Estado de 2019 (OE2019) deve assentar num crescimento económico de 2,2% no ano que vem, valor que fica assim ligeiramente abaixo da projeção do Programa de Estabilidade avançado em abril (2,3%).

Mas o desemprego e a dívida melhoram, devem ser revistos em baixa, indicam dados que o governo está a fazer circular, no dia em que se reúne, no Parlamento, com os vários partidos por causa do OE.

De acordo com essas informações ainda provisórias sobre o cenário macroeconómico que vai figurar no OE2019, a meta do défice público mantêm-se nos 0,2% do produto interno bruto (PIB).

Já o rácio da dívida pública deve ser revisto em baixa face a abril. Segundo os novos dados, o peso da dívida baixará para 117% do PIB, menos do que os 118,4% que aparecem no Programa de Estabilidade de abril.

A taxa de desemprego prevista para 2019 também deve ser revista em baixa face há seis meses, de 7,2% para cerca de 6,3% da população ativa ou menos, agora.

Luís Reis Ribeiro é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG