Novo Banco diz que está a ser usado em "manobras político-mediáticas"

As polémicas em torno do Novo Banco têm-se intensificado com notícias sobre os salários dos gestores e as injeções de capital com empréstimo estatal.

O conselho de administração (CA) do Novo Banco anunciou esta quinta-feira que "não aceita e lamenta profundamente que o bom nome da instituição continue a ser usado como arma de arremesso político e/ou manobras político-mediáticas".

Num comunicado enviado às redações, sublinha que "se, apesar de tudo, subsistem dúvidas sobre a criação e a forma como é gerido o Novo Banco, como transpareceu, uma vez mais, do debate parlamentar de ontem à tarde, os senhores deputados devem procurar, através de todas as iniciativas, (...) apurar tudo o que quiserem".

Acrescenta que "o Novo Banco está disponível para tudo esclarecer". "Mas não pode continuar a assistir a constantes manobras que só prejudicam a sua atividade, perturbam o esforço de recuperação duramente realizado por milhares de colaboradores do banco", salienta.

O comunicado adianta que "o Novo Banco é seguramente uma das entidades bancárias mais escrutinadas, tanto a nível nacional como a nível europeu, fruto, aliás, do processo que lhe deu origem", lembrando que "o próprio presidente executivo" esteve "por várias vezes, no Parlamento a prestar todos os esclarecimentos que lhe foram solicitados".

(Atualizada às 11H14 com mais informação).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG