Novo Banco com prejuízo de 400 milhões até junho

O Novo Banco estima que terá de pedir, pelo menos, mais 541 milhões de euros ao Fundo de Resolução.

O Novo Banco registou um prejuízo de 400,1 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, o que compara com perdas de 212,2 milhões em igual período de 2018, e prevê que terá de pedir, pelo menos, mais 541 milhões de euros ao Fundo de Resolução.

"Neste semestre, o Grupo Novo Banco registou perdas relacionadas com o processo de restruturação e desalavancagem de ativos não produtivos, designadamente o projeto Sertorius [imóveis], o projeto Albatroz em Espanha e o processo de venda da GNB Vida, cujo impacto negativo ascendeu a 340 milhões de euros", explica o Novo Banco no comunicado com os resultados semestrais.

O banco registou um aumento das imparidades e provisões, que duplicaram, atingindo os 515 milhões de euros, o que compara com 248 milhões de euros nos primeiros seis meses de 2018.

"Progredimos na execução da nossa estratégia de redução de ativos não produtivos", afirma António Ramalho, presidente executivo do Novo banco, citado no mesmo comunicado.

A margem financeira melhorou para 262,5 milhões de euros de 221 milhões de euros. O produto bancário recuou 11,8% para 322 milhões de euros.

Leia a notícia completa no Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG