Nazaré ascende à quarta posição no ranking nacional de turismo

Portugal City Brand Ranking volta a dar a conhecer as melhores cidades para visitar, para viver e para fazer negócios de entre os 308 municípios nacionais

A Nazaré continua a surpreender. Em 2018, o município entrou para o top 10 da tabela nacional de turismo do Portugal City Brand Ranking e, este ano, ascendeu já a uma "brilhante" quarta posição, revelando-se "um autêntico caso de estudo, tendo apenas pela frente os gigantes Lisboa, Porto e Funchal, refere a Bloom Consulting Portugal. No que ao investimento diz respeito, o destaque vai para os municípios a Norte, que ganham espaço no top 25 do ranking de negócios, liderado por Lisboa, Porto, Braga, Cascais e Coimbra. Já nos melhores concelhos para viver, saiba que Braga e Coimbra ocupam já o terceiro e quarto lugares, sendo que a cidade dos estudantes destronou Sintra.

Estes são dados de mais uma edição, a sexta, do Portugal City Brand Ranking, que hoje são divulgados. O estudo cruza os dados estatísticos a nível económico, social e turístico de cada um dos 308 municípios nacionais com as pesquisas online realizadas globalmente e em várias línguas, bem como com a performance digital de cada concelho, através da análise dos sites e das redes sociais oficiais, para avaliar "o desempenho e a eficácia" da marca de cada um perante investidores, turistas e novos residentes.

No ranking global nacional, Lisboa não só mantém como reforça a sua posição como o município mais atrativo, pelo sexto ano consecutivo. O "forte e exemplar desempenho da marca Lisboa" junto de investidores, turistas e talentos nacionais e estrangeiros "justifica a sua predominância , diz a consultora. O Porto "reforça os excelentes resultados do ano passado e aproxima-se do primeiro lugar", refere o seu diretor-geral, Filipe Roquette. Lisboa cresceu 0,23 pontos e o Porto 0,31 face à sua performance do ano anterior e estão, este ano, com, respetivamente, 6,55 pontos e 6,10 pontos. A distância que separa o Porto de Lisboa é praticamente a mesma que separa o Porto de Cascais e de Braga.

A questão também pode ser analisada em termos de pesquisas online. E dos 94,3 milhões de pesquisas realizadas por potenciais turistas, moradores ou investidores sobre os 308 municípios portugueses, Lisboa é responsável por 19 milhões e o Porto por 10 milhões de pesquisas. "Lisboa é a capital do país, é a marca mais reconhecida, mas o Porto tem conseguido encurtar imenso a diferença, é uma marca fortíssima a nível internacional", reconhece Filipe Roquette. Que acrescenta: "Esta competitividade positiva está também presente na repartição do número de presenças no Top 25, entre as regiões do Norte e de Lisboa, no crescimento sustentável da Nazaré e na procura dilatada pelas nossos ativos municipais". Filipe Roquette salienta que "nos últimos 12 meses, a procura de potenciais turistas, estudantes, trabalhadores, investidores e empresários - nacionais e internacionais - intensificou-se em 22%", o que prova que "os municípios portugueses são uma opção apetecível para as suas próximas férias, para realizar investimentos ou como um local para viver".

De entre os tópicos mais procurados, destaque para "made in","indústria turística" e "marcos urbanos", que cresceram 70%, 57% e 40%, respetivamente. Curiosamente, as pesquisas por "turismo de luxo" e por "poluição" caíram ambas 11% e as referentes à prática de golfe recuaram 7%.

Os concelhos lisboetas apresentaram um aumento de pesquisas de 8% no Turismo, com tópicos como "locais históricos" (+45%) e "Airbnb" (+24%) a destacarem-se. Na capital, mais especificamente, a procura por "cruzeiros" disparou 88% e por "aquários e oceanários" cresceu 36%. A Norte, o interesse turístico manifestado através de pesquisas digitais subiu 14%, com o tema "tours" entre os mais requisitados. A fechar o pódio, está o Funchal, o município madeirense que mais atrai turistas, e aqui a maior curiosidade é gerada pelos "mercados tradicionais", que praticamente duplica, e pelo tópico "viajar", que sofreu um incremento de 71%.

Já no ranking dos negócios, os concelhos da região de Lisboa registaram um aumento de 12% na procura online no âmbito do investimento, mas foi a Norte que esse domínio foi mais fértil, "com uma atenção e iniciativa incrementadas em 19%, com tópicos como "clima de negócios" a crescer em termos de pesquisas online", refere a Bloom Consulting.

Também a zona Centro exibiu uma variação positiva nas consultas digitais, com uma subida de 23% nos negócios. O grande destaque vai para os produtos "made in", "o que revela um ampliado interesse, reconhecimento e popularidade por produtos associados à região", diz Filipe Roquette, sublinhando que a prova disso são as crescentes pesquisas sobre "comércio local" de que Coimbra - que ocupa a 5ª posição na tabela - foi alvo em 2018. Torres Vedras, igualmente do Centro, merece destaque pela ascensão ao 18º lugar, cinco posições acima do ranking anterior.

Exclusivos