Moody's abre caminho a subida de rating apesar de incerteza mundial

A agência manteve ontem a notação portuguesa em Baa3, mas está mais otimista quanto à capacidade de o país reduzir o peso da dívida na economia.

A semana não poderia ter sido muito pior do ponto de vista da conjuntura externa, mas terminou com um sinal de confiança em Portugal. A Moodys ainda não iguala as restantes agências de rating, que têm a dívida pública portuguesa dois níveis acima do chamado "lixo", mas pode fazê-lo na próxima ação sobre o perfil de crédito nacional. O papel do Tesouro continua a valer uma notação Baa3, mas o outlook passou a ser desde ontem positivo.

Para a agência, é agora mais provável que a dívida portuguesa, que trilha mínimos históricos de juros, se qualifique enquanto ativo de investimento do que o contrário. A mudança de perspetiva tem na base a perceção de que Portugal será capaz de avançar mais rapidamente na redução da dívida pública, que no final de junho atingia 251,2 mil milhões de euros.

A agência espera que o rácio de endividamento relativo ao PIB fique abaixo dos 110% em 2022.

O Ministério da Finanças destacou, em comunicado, a confiança da Moody"s no "processo de consolidação orçamental, com reflexo na diminuição do rácio da dívida pública face ao PIB, a um ritmo superior ao estimado pela agência há um ano". E além disso, "a perspetiva de manutenção da trajetória de redução do rácio da dívida pública".

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Exclusivos

Premium

Flamengo-Grémio

Jesus transporta sonho da Champions para a Libertadores

O treinador português sempre disse que tinha o sonho de um dia conquistar a Liga dos Campeões. Tem agora a oportunidade de fazer história levando o Flamengo à final da Taça Libertadores para se poder coroar campeão da América do Sul. O Rio de Janeiro está em ebulição e uma vitória sobre o Grémio irá colocar o Mister no patamar de herói.