Mais de 70% dos consumidores portugueses já fazem compras online

Estudo feito pela Mondial Relay mostra que os portugueses escolhem sobretudo as grandes plataformas nacionais e internacionais, como a Worten.pt, FNAC.pt, Kuantokusta.pt e Amazon para compras online.

O estudo de mercado divulgado esta terça-feira pela Mondial Relay revela que 71% dos consumidores portugueses já faz compras online. O setor do vestuário regista a maior percentagem de compras feitas em lojas online. Os produtos de tecnologia fazem parte do topo das preferências da população portuguesa.

A multinacional francesa especializada em entregas para o setor do comércio eletrónico encomendou um estudo de mercado para analisar os hábitos de consumo dos portugueses, no qual se conclui também que a entrega de encomendas através de "pontos de recolha" é já um dos três métodos mais usados em Portugal para o envio de produtos adquiridos online.

O método mais usado continua a ser o da entrega em casa (83%), seguido pela recolha em loja (59%), mas a entrega através de pontos de recolha (53%) surge logo a seguir.

Luís Delgado, Diretor da Mondial Relay Portugal, comentou a propósito que "estes resultados demonstram uma alteração das atitudes dos consumidores e confirmam a aposta que fizemos em Portugal, onde temos já mais de 500 'Pontos Pack' para apoio das entregas por parte de lojas de comércio eletrónico aos consumidores portugueses".

O estudo revela que o baixo preço (barato ou grátis), a conveniência e não ter alguém em casa para receber as encomendas são as principais razões pelas quais os consumidores preferem o método de entrega em pontos de recolha face a outras soluções.

O facto de ser um método "amigo do ambiente", por evitar viagens do consumidor ou da empresa de entregas, surge também citado como uma vantagem por cerca de um quarto dos inquiridos (23%). Além disso, a disponibilidade da opção de entrega através de um ponto de recolha é também indicado por uma percentagem significativa dos consumidores (28%) como algo que pesa na sua decisão de comprar numa determinada loja online.

O estudo mostra ainda que apenas 29% dos consumidores não compra online. Pelo contrário, 71% dos inquiridos responderam que compram quer online, quer em lojas físicas, com 3% dos consumidores a admitirem optar exclusivamente por comprar em lojas online.

O setor do vestuário, que em Portugal tem estado desde há décadas disponível por compra em catálogo e online, surge no topo das preferências. Dos consumidores que fizeram compras através de lojas de e-commerce, um total de 68% indicaram que compram regularmente produtos de vestuário; o setor da TI surge logo a seguir, com 59%. O terceiro lugar do pódio é ocupado com produtos culturais (livros, discos,...), que representa 53% das compras. Seguem-se produtos para o lar, cosméticos, decoração, higiene, alimentação e produtos para animais.

Quanto às lojas mais populares, os portugueses escolhem sobretudo as grandes plataformas nacionais e internacionais, como a Worten.pt, FNAC.pt, Kuantokusta.pt e Amazon - citados por 78% dos inquiridos. Lojas "de marca" são usadas por 66% dos consumidores, estando também no topo das preferências. Num distante terceiro lugar, os websites de produtos em segunda mão, tais como o OLX, StandVirtual, CustoJusto, etc.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG