Lisboa é a rainha nos negócios, turismo e trabalho

Entre os 308 municípios do país, são as principais cidades que garantem as melhores condições para investir e captar talento. Lisboa rivaliza com outras cidades europeias.

A concentração da população portuguesa nos municípios mais urbanos e do litoral é uma realidade incontornável e que facilmente é explicada pela melhor qualidade de vida que estes territórios oferecem, assim como uma maior oferta de emprego. Não é, pois, surpreendente que Lisboa, Porto, Cascais, Braga, Coimbra, Vila Nova de Gaia e Sintra ocupem os sete primeiros lugares no Top 25 nacional quando sujeitos a uma análise sobre o clima de negócios, o desempenho turístico e as oportunidades que oferecem a novos residentes.

Este ranking surge no âmbito do último estudo do Bloom Consulting aos 308 municípios portugueses e, também sem surpresas, regista não haver nenhuma alteração nestas sete posições relativamente ao ano passado. Ou seja, os melhores dos melhores municípios portugueses consolidaram as suas posições, mesmo no ambiente adverso que marcou os últimos dois anos. E, como não podia deixar de ser, Lisboa manteve a liderança nos três indicadores analisados.

O Bloom Consulting Portugal City Brand Ranking 2022 fica marcado "pelos primeiros passos no progressivo retorno à normalidade, esperando-se que o turismo, os negócios e as movimentações de talento voltem aos níveis registados antes da pandemia", diz Filipe Roquette, diretor da consultora. Na sua opinião, esta oitava edição é a "mais competitiva na história" do estudo, com muitas posições de topo da tabela separadas por décimas, o que revela o investimento e esforço dos municípios em construir "estratégias de marca que visam a melhoria dos seus desempenhos face a turistas, investidores, empresas, estudantes, trabalhadores, famílias e cidadãos".

A capital do país continua a afirmar-se como "a marca municipal mais forte de Portugal, com uma forte projeção internacional para turistas, investidores, estudantes e profissionais e rivalizando com outras grandes cidades europeias", sublinha o relatório. A par de Lisboa, o Porto segura firme a segunda posição a nível nacional e também nos três requisitos. A partir deste lugar, as variações nas categorias escrutinadas vão alternando. Numa visão aos três municípios que mais se destacam no todo do país, verifica-se que Cascais fecha o pódio, mas está na sexta classificação no que se relaciona com a atividade turística e na quinta no que toca a talento.

Na lista dos 25 municípios mais atrativos para fazer negócios, trabalhar e visitar, o relatório realça que o Funchal regressa ao 8º lugar e Setúbal, que na passada edição não integrou sequer o Top 10, escala quatro degraus, ocupando agora o 9º lugar. Em sentido inverso, Aveiro apresenta-se como o único município da lista exclusiva dos 10 municípios mais relevantes no contexto do estudo a perder terreno, acabando por fechar este ranking mais restrito. Faro sai mesmo deste clube, onde marcava presença desde 2016, caindo uma posição.

A Leiria, que se manteve imune a descidas e subidas, segue-se Portimão, que subiu cinco posições e consegue a sua melhor posição nacional de sempre, a 13ª. Logo depois, surge Viseu e Oeiras, que também ganharam terreno entre as 15 marcas de referência no estudo. Apesar da subida significativa de Oeiras para 15º lugar, Matosinhos garantiu a sua posição, com Guimarães, Évora e Viana do Castelo a prosseguir na lista. No top 25 há ainda espaço para Almada, que perde nove posições, mas mantém-se entre os 20 municípios com melhor desempenho, onde também figuram Mafra e Albufeira. Maia cai duas posições e está agora no 23º posto. No 24º lugar, regista-se o retorno de Ponta Delgada, que conquista o lugar a Vila do Conde. O Top 25 é fechado por Torres Vedras.

Grandes negócios

No segmento de negócios, Lisboa, Porto e Cascais encabeçam o pódio. Braga subiu dois lugares na tabela e ocupa agora o 4º lugar. O top 5 é fechado por Coimbra. Na categoria visitar, o ranking dos cinco principais municípios conheceu algumas alterações face à edição anterior, que o Bloom Consulting justifica em parte pelos comportamentos derivados da pandemia. Lisboa e Porto conseguem manter as suas posições no 1º e 2º lugares nacionais, e Albufeira entra no pódio. O 4º e o 5º lugar são ocupados por Portimão e Sintra, que garantiram os melhores resultados de sempre. Na área do talento, Lisboa e Porto são indiscutíveis nas duas posições cimeiras. Braga (3º) e Coimbra (4º) voltam a trocar de posição, e Cascais escala para o fim do Top 5 nacional.

O estudo atribui ainda a distinção Marca Estrela, que consagra os municípios que protagonizaram as maiores subidas aos níveis nacional e regional, e também nas três dimensões em análise. Este ano, Setúbal foi a Marca Estrela nacional, Braga ganhou em negócios, Vila Nova de Gaia em viver e Albufeira em visitar. No que toca a regiões, São Roque do Pico distinguiu-se nos Açores, Castro Marim no Algarve, Seixal em Lisboa, Matosinhos no Norte, Santarém no Alentejo, Covilhã no Centro e, por fim Machico na Madeira.

O Bloom Consulting Portugal City Brand Ranking, que é publicado anualmente - a exceção foi 2020 devido à pandemia -, assenta na análise estatística do desempenho socioeconómico dos 308 municípios portugueses na capacidade de atrair talento, negócios e turismo, na medição das pesquisas realizadas nos principais motores de busca mundiais e no desempenho online das páginas das autarquias e respetivas redes sociais.

jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG