Linhas do Douro e do Minho com mais oferta até ao verão

Oficina de Guifões reabre oficialmente nesta quarta-feira. É o epicentro da recuperação de 70 locomotivas e carruagens que estavam há anos encostadas.

As linhas do Douro e do Minho vão contar com mais comboios até ao início do verão. Este material vai complementar a oferta das automotoras a diesel que atualmente circulam nestas linhas. O reforço de material será feito com a recuperação de um total de 28 unidades na oficina de Guifões, em Matosinhos, que será oficialmente reaberta nesta quarta-feira.

Até junho, vão ganhar nova vida 13 carruagens Schindler, da década de 1940; dez carruagens fabricadas nas antigas oficinas da Sorefame e ainda cinco locomotivas 2600. Uma das locomotivas e duas carruagens Schindler já reparadas serão exibidas nesta tarde na inauguração desta unidade.

Ao haver mais material nestas linhas, a CP poderá libertar algumas das 24 automotoras a diesel alugadas a Espanha para percursos não eletrificados, como as linhas do Oeste, Alentejo e Algarve. No caso do Algarve, persistem as supressões diárias de comboios. Sempre que há uma ligação suprimida por culpa própria, a CP tem de pagar uma multa, ao abrigo do contrato de serviço público, que está atrasado.

O Tribunal de Contas pediu mais esclarecimentos à CP sobre este contrato, que vem estabelecer um conjunto de obrigações de serviço público a que a empresa fica vinculada durante dez anos a partir de 2020. Em contrapartida, o Estado paga anualmente uma verba à CP, que em 2020 será de 90 milhões de euros.

Regresso de Guifões

O reforço de material circulante apenas é possível por causa da reabertura da oficina de Guifões. Esta é uma das medidas do plano de investimento de 45 milhões de euros da CP até ao final de 2022, aprovado pelo governo no final de junho.

Atualmente com 70 operários, esta oficina será reforçada com mais trabalhadores nos próximos meses, até atingir os mais de 120 funcionários. Encerrada em 2011, esta unidade começou a reparar comboios há pouco menos de dois meses.

Trabalho não irá faltar nesta unidade: só para este ano, prevê-se também a recuperação de locomotivas dieselda série 1400 e de carruagens Sorefame e Schindler. Em Guifões, também serão reparados os bogies das automotoras elétricas da série 2240 e modificados os interiores das carruagens Corail, do serviço Intercidades.

Na oficina do concelho de Matosinhos também haverá antigas carruagens-furgão que passarão a ter comandos de maquinista para controlar comboios a partir do sistema push-pull.

Diogo Ferreira Nunes é jornalista do Dinheiro Vivo

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG