Lidl Portugal aumenta salário mínimo para 670 euros no primeiro ano de trabalho

O Lidl Portugal anunciou esta terça-feira que decidiu aumentar "para 670 euros o valor do ordenado de entrada" no primeiro ano na empresa, acima do salário mínimo nacional, a partir do próximo ano fiscal, que arranca em março.

Em comunicado, a cadeia de supermercados de origem alemã adiantou que os 670 euros é o montante do ordenado de entrada, "auferido no primeiro ano de trabalho".

Assim, "empenhado em estabelecer vínculos laborais e relações profissionais estáveis, o Lidl Portugal aumenta o ordenado mínimo acima dos 600 euros definidos pelo Governo para 2019. O valor representa um acréscimo de 70 euros", acrescenta a empresa.

Há 23 anos no mercado, o Lidl Portugal tem, atualmente, mais de 6 500 trabalhadores.

"Depois da atribuição de benefícios valorizados em mais de cinco milhões de euros para todos os colaboradores mediante um prémio no valor de 400 euros, a todos os colaboradores na Operação em março deste ano; um seguro de saúde de referência; e ainda, um cartão presente no valor de 30 euros, entre outros benefícios e acordos, a empresa anuncia agora o aumento do ordenado auferido no primeiro ano de trabalho", resume a empresa.

"A partir do próximo ano fiscal da empresa, que se inicia em março 2019, o ordenado mínimo de entrada no Lidl Portugal, aumenta para 670 euros, um aumento de 70 euros. Adicionalmente a empresa garante que todos os colaboradores na operação, até à categoria de chefe de loja, recebem um aumento em 2019", refere.

"O investimento nos nossos colaboradores é para nós uma prioridade, uma vez que são estes o motivo do nosso crescimento. No Lidl acreditamos que é construindo uma equipa de excelência, com empenho, capacidade e dedicação de trabalho que vamos crescer", refere o presidente executivo do Lidl Portugal, Massimiliano Silvestri, citado no comunicado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG