Programa Erasmus+ financiou 17 mil estudantes portugueses em 2016

No ano passado, 335 projetos portugueses, num total de 17.955 participantes, beneficiaram do programa Erasmus+ para estágios e estudos noutro país

O programa Eramus+ apoiou, em 2016, 17.055 participantes em 355 projetos portugueses nos seus planos de estudar ou estagiar noutro país, com uma verba de 31,27 milhões de euros segundo um relatório hoje divulgado pela Comissão Europeia.

No ano passado, 335 projetos portugueses, num total de 17.955 participantes, beneficiaram do programa Erasmus+ para estágios e estudos noutro país.

A maior parte dos alunos Erasmus+ vieram das universidades de Lisboa, Porto e Coimbra e o principal país de destino foi a Espanha, seguindo-se Itália e Polónia.

Os dados de Bruxelas mostram que o número de estudantes e estagiários que saíram do país passou de 5.394 no ano letivo 2008/2009 para 8.705 em 2015/2016.

O número de estudantes estrangeiros que escolhem Portugal passou de 6.232 para 12.969, respetivamente.

No que respeita a projetos de cooperação entre escolas, universidades, organizações juvenis, entidades públicas e empresas - com o objetivo de criar sistemas de educação mais modernos reforçando os laços entre o mundo do trabalho e da educação -, 52 iniciativas portuguesas receberam 9,37 milhões de euros, distribuídos por 329 organizações.

Com um aumento de 7,5 % do orçamento do Erasmus+ em relação ao ano anterior, a União Europeia (UE) investiu um montante recorde de 2,27 mil milhões de euros para apoiar 725.000 europeus com bolsas de mobilidade para estudar, lecionar, receber formação, trabalhar ou fazer voluntariado no estrangeiro.

Em 2016, o programa investiu também em 21.000 projetos envolvendo 79.000 organizações de ensino, formação e juventude --- mais 15 % que em 2015.

O atual programa Erasmus+, que decorre de 2014 a 2020, dispõe de um orçamento de 14,7 mil milhões de euros e proporcionará a 3,7% dos jovens da UE uma oportunidade para estudarem, seguirem uma formação, adquirirem experiência de trabalho e fazerem voluntariado no estrangeiro (ou seja, cerca de 3,3 milhões de jovens ao longo de todo o período).

A cobertura geográfica do programa passou de 11 países em 1987 para 33 atualmente os 28 Estados-membros da UE, assim como a Turquia, a antiga República jugoslava da Macedónia, a Noruega, a Islândia e o Listenstaine).

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

OE 2019 e "o último orçamento que acabei de apresentar"

"Menos défice, mais poupança, menos dívida", foi assim que Mário Centeno, ministro das Finanças, anunciou o Orçamento do Estado para 2019. Em jeito de slogan, destacou os temas que mais votos poderão dar ao governo nas eleições legislativas, que vão decorrer no próximo ano. Não é todos os anos que uma conferência de imprensa no Ministério das Finanças, por ocasião do orçamento da nação, começa logo pelos temas do emprego ou dos incentivos ao regresso dos emigrantes. São assuntos que mexem com as vidas das famílias e são temas em que o executivo tem cartas para deitar na mesa.

Premium

João Gobern

Há pessoas estranhas. E depois há David Lynch

Ganha-se balanço para o livro - Espaço para Sonhar, coassinado por David Lynch e Kristine McKenna, ed. Elsinore - em nome das melhores recordações, como Blue Velvet (Veludo Azul) ou Mulholland Drive, como essa singular série de TV, com princípio e sempre sem fim, que é Twin Peaks. Ou até em função de "objetos" estranhos e ainda à procura de descodificação definitiva, como Eraserhead ou Inland Empire, manifestos da peculiaridade do cineasta e criador biografado. Um dos primeiros elogios que ganha corpo é de que este longo percurso, dividido entre o relato clássico construído sobretudo a partir de entrevistas a terceiros próximos e envolvidos, por um lado, e as memórias do próprio David Lynch, por outro, nunca se torna pesado, fastidioso ou redundante - algo que merece ser sublinhado se pensarmos que se trata de um volume de 700 páginas, que acompanha o "visado" desde a infância até aos dias de hoje.