A330 neo: dos problemas nos motores aos estranhos enjoos da tripulação

Atrasos de 12 meses na entrega dos novos modelos e agora queixas à TAP de má disposição entre a tripulação e passageiros após voos de longo curso.

Antes mesmo das queixas de má disposição, enjoos e vómitos entre tripulantes e passageiros que têm sido reportados nos voos do novo A330neo da TAP, os novos modelos já tinham ameaçado dar problemas. Primeiro foi a Rolls-Royce a ser confrontada com dificuldades por causa dos motores em vários modelos, incluindo o A330neo, o que atrasou a entrega dos aviões em quase 12 meses, período em que o motor passou por uma modificação no desenho. Há poucos dias foi a Delta Air Lines a adiar a estreia da aeronave marcada para o dia 1 de julho.

A TAP tornou-se em dezembro de 2018 "a primeira companhia aérea do mundo a oferecer aos seus clientes as características económicas imbatíveis, de maior alcance e eficiência, e a nova cabina Airspace", do novo modelo, como se lia na apresentação. No início deste ano, recebeu mais dois Airbus A330-900neo, que se juntaram ao modelo que a companhia portuguesa já estava a utilizar, em estreia mundial, nos voos para o Brasil. E foi precisamente neste percurso que os problemas recentes foram reportados.

Os episódios já foram comunicados à Autorização Nacional de Aviação Civil (ANAC) e um dos últimos aconteceu na semana passada num voo para o Brasil quando passageiros e tripulação se sentiram mal. Um dos passageiros contou que os pilotos tiveram de aterrar de máscara.

À Lusa, a TAP confirmou "casos pontuais de tripulantes com ligeiras indisposições" em alguns voos dos seus A330neo, eventualmente associados a "alguns odores do equipamento de ar condicionado", garantindo ser uma situação "normal em aeronaves novas".

"Relativamente ao facto de, em algumas unidades novas do A330neo, poderem ter sido detetados alguns odores provenientes do equipamento de ar condicionado, é um facto considerado normal em aeronaves novas e que desaparece logo após as primeiras utilizações", sustenta a companhia aérea, garantindo que "nunca colocaria os seus clientes e trabalhadores numa situação de risco para a sua saúde".

Carga teve de ser reduzida para garantir segurança

Em fevereiro, a compra de novos aviões por parte da TAP era notícia por ter provocado vários problemas nos voos em que essas aeronaves são usadas, nomeadamente com a carga transportada, obrigando a um "emagrecimento" do avião, para não colocar em causa a segurança, noticiava o jornal Sol.

"Não existe qualquer limitação de passageiros e as novas aeronaves A330 NEO já ao serviço da companhia têm tido uma eficiência operacional maior do que a média da frota da TAP e acima da expectativa do fabricante. As novas aeronaves estão aptas a fazer voos com lotação máxima. Em qualquer voo, de qualquer aeronave, o payload de carga é ajustado aos passageiros e ao volume de combustível abastecido", esclareceu a TAP em comunicado.

Na notícia avançada pelo SOL, um dos pontos referidos dizia respeito aos voos para os EUA, uma vez que nada parecia garantir que os novos aviões estivessem aptos para fazer todos os voos que estavam pensados, nomeadamente, para os EUA - que, aliás, ainda não deram todas as certificações indispensáveis aos novos Airbus (por exemplo, na linha de S. Francisco).

A empresa rebatia. "Os novos aviões A330 NEO já estão certificados para os Estados Unidos. O Airbus A330 NEO tem tido uma ótima performance desde a sua entrada ao serviço da TAP. Os novos A330 NEO já têm certificação da EASA para ETOPS 300 minutos, o que comprova a fiabilidade dos motores Rolls-Royce Trent 7000".

Já a norte-americana Delta Airlines explicou que o adiamento da inauguração do A330neo se deve ao atraso na entrega dos modelos à empresa. O avião irá estrear-se na companhia aérea no dia 15 e não a 1 de julho, como previsto inicialmente.

Segundo informações da empresa, a TAP recebe 37 novas aeronaves até ao final deste ano e 71 até 2025. Esta renovação e crescimento da frota tem permitido à companhia anunciar novos destinos e mais frequências. Na América do Norte, São Francisco, Washington e Chicago são os novos destinos já à venda, juntando-se a Nova Iorque - JFK, Nova Iorque-Newark - , Boston e Miami, à partida de Lisboa, e Nova Iorque-Newark à partida do Porto, além de Toronto, no Canadá.

Nápoles, Tenerife, Telavive, Dublin e Basileia são outros novos destinos que a TAP já anunciou para 2019.

Exclusivos