Itália assusta investidores. Bancos portugueses expostos

Juros da dívida italiana dispararam para o nível mais alto em quatro anos e meio. Exposição dos principais bancos portugueses ronda os 1900 milhões.

A crescente tensão política entre Bruxelas e o governo de Giuseppe Conte e o anúncio de que o défice de Itália deverá atingir 2,4% do PIB e não os 2% esperados estão a assustar os mercados. Os investidores estão a desfazer-se de ativos italianos há quatro sessões consecutivas. Os juros da dívida soberana italiana a 10 anos subiram ao nível mais alto em quatro anos e meio e estão a aproximar-se dos da Grécia. Um risco para quem detém títulos de dívida soberana em carteira.

Os principais bancos portugueses, por exemplo, detêm cerca de 1900 milhões de euros em dívida soberana de Itália. A banca portuguesa tem vindo a aumentar a sua exposição a países como Itália, segundo dados do Banco de Portugal. Mas o risco não fica por aqui. Se continuar a onda de vendas em torno de ativos italianos, também a dívida pública de países da periferia como Portugal e Espanha podem sofrer com o contágio. O mesmo se receia em relação às ações de empresas cotadas. E as Bolsas estão a cair.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia