Governo aponta "quebra de relação de confiança" com a TAP

Ministério das Infraestruturas e da Habitação afirma que companhia aérea desrespeitou os "deveres de colaboração institucional que lhe são conferidos".

Depois do anúncio da atribuição de prémios no valor 1,171 milhões de euros a 180 trabalhadores, o Governo condena que ação da TAP. Em comunicado, o Ministério das Infraestruturas e da Habitação afirma que o programa de mérito foi criado "sem ter sido dado conhecimento prévio ao Conselho de Administração da TAP da atribuição dos prémios e dos critérios subjacentes a essa atribuição".

Numa publicação na rede social Facebook, o ministro Pedro Nuno Santos defende que o Executivo não se revê nesta conduta, afirmando que a companhia aérea portuguesa "agiu em desrespeito dos deveres de colaboração institucional que lhe são conferidos".

"O Governo e os representantes do Estado no Conselho de Administração da TAP tomaram conhecimento desta decisão, já consumada com o processamento dos salários referentes ao mês de maio, pelos órgãos de comunicação social", lamenta, afirmando que tal ação constitui uma "quebra da relação de confiança entre a Comissão Executiva e o maior acionista da TAP, o Estado português".

Apesar do prejuízo de 118 milhões de euros, registado no ano passado, a TAP atribuiu prémios de 1,171 milhões de euros a 180 trabalhadores, no mês de maio.

Segundo a lista a que o Dinheiro Vivo teve acesso, os prémios de valor mais elevado foram de 110 mil euros e entregues a duas pessoas. O presidente da Comissão Executiva da TAP, Antonoaldo Neves, já esclareceu que o programa de prémios na empresa tem prevista a atribuição de prémios individuais e estes "poderiam até ter sido maiores se a empresa tivesse gerado lucro" em 2018.

O Governo já pediu uma reunião de urgência do Conselho de Administração com vista a esclarecer todo o processo e fazer a análise do dever a que estão obrigado nos termos do acordo parassocial e nos termos da legislação em vigor.

Jornalista do Dinheiro Vivo

Exclusivos

Premium

Clássico

Mais de 55 milhões de euros separam plantéis de Benfica e FC Porto

Em relação à época passada, os encarnados ultrapassaram os dragões no que diz respeito à avaliação do plantel. Bruno Lage tem à sua disposição um lote de jogadores avaliado em 310,7 milhões de euros, já Sérgio Conceição tem nas mãos um grupo que vale 255,5 milhões. Neste sábado, no Estádio da Luz, defrontam-se pela primeira vez esta temporada.