Finanças do Porto cria equipa para vigiar e fotografar contribuintes

A direção de Finanças do Porto criou equipa há dois anos para vigiar e fotografar contribuintes, noticia esta sexta-feira O Jornal Económico. É a mesma estrutura que ordenou as operações Stop para apanhar quem não paga ao fisco e que o Governo cancelou.

A direção de Finanças do Porto criou em 2017 "uma equipa de investigação criminal que, sem ordens de serviço escritas, faz vigilância, seguimentos e recolha de material fotográfico de suspeitos de crimes fiscais", escreve O Jornal Económico . A existência desta estrutura foi denunciada à Autoridade Tributária, que ordenou uma auditoria.

Fonte do Ministério das Finanças garantiu ao jornal que tal equipa tem enquadramento orgânico, tendo sido criada por proposta do anterior diretor de Finanças do Porto, Mas a mesma é desconhecida pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, Paulo Ralha.

A equipa é coordenada por um ex-inspetor da PJ e inclui sete inspetores tributários propostos por José Castro. Em 2015, José Castro foi nomeado diretor de Finanças do Porto, mas demitiu-se há uma semana na sequência da 'Ação sobre rodas', cancelada posteriormente pelo Governo. Era uma operação para cobrar dívidas ao fisco e, quem não pagasse, era-lhe confiscada a viatura.

Exclusivos