Brexit: TAP deixa de voar para London City. Companhia anuncia novas rotas

Incertezas quanto à saída do Reino Unido da União Europeia levam companhia aérea a suspender operação naquele aeroporto londrino. Nova ponte aérea vai ligar Lisboa e Porto a Madrid.

Os fracos resultados relativamente ao mercado inglês e as incertezas de procura por parte dos clientes, decorrentes do Brexit, levaram a TAP a suspender a operação no aeroporto de London City em 2020. A companhia aérea irá compensar "parcialmente os assentos perdidos com o aumento da capacidade dos aviões à partida de Lisboa e do Porto para os restantes aeroportos londrinos".

Para o próximo ano, a transportadora aérea portuguesa anuncia a criação de duas novas pontes aéreas que ligarão Lisboa e Porto à capital espanhola. A TAP vai redirecionar "a capacidade dos voos Porto-Barcelona e Porto-Lyon, suspendendo a operação nesses mercados, que conta com ampla oferta da concorrência, para construir a novíssima ponte aérea entre Porto e Madrid, que contará com seis frequências diárias, mais que o dobro da oferta atual", nota em comunicado.

À saída de Lisboa, a capacidade dedicada a Estugarda, Colónia e Basileia será redirecionada para outros mercados. Será criada uma nova ponte aérea para ligar Lisboa a Madrid. A TAP lançará ainda uma nova rota para Santiago de Compostela, e reforçará outras ligações a Espanha, acrescentando voos diários entre Lisboa e as cidades de Barcelona, Bilbau, Valência e Málaga e Sevilha.

No próximo ano, a companhia aérea portuguesa mantém a aposta nos Estados Unidos, com quatro voos diários para Nova Iorque. As frequências diárias Lisboa-Nova Iorque duplicam, além do voo Lisboa-Newark e do Porto-Newark, que passam a ser diários. Para voar até Miami haverá dez oportunidades por semana, em vez das atuais sete. Washington e Chicago passarão a contar com voos diários.

Também as frequências para o Brasil serão reforçadas, especialmente para Natal e Belém, passando de três para cinco voos semanais para cada um dos destinos.

A companhia relembra que o plano de rota para 2020 está ainda sujeito à obtenção de slots, processo que se inicia este mês.

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.