Insolvências em Portugal devem subir 20% em 2023, indica estudo

Estudo da Allianz Trade estima uma subida de 20% das insolvências, "devido ao agravamento das pressões inflacionistas sentidas na economia mundial, à crise energética e às perturbações nas cadeias de abastecimento".

As insolvências em Portugal deverão subir 20%, no próximo ano, devido à inflação, à crise energética e às perturbações nas cadeias de abastecimento, segundo um estudo da Allianz Trade, divulgado esta quinta-feira.

"A Allianz Trade, acionista da COSEC -- Companhia de Seguro de Créditos, estima uma subida de 20% das insolvências, devido ao agravamento das pressões inflacionistas sentidas na economia mundial, à crise energética e às perturbações nas cadeias de abastecimento", informou, em comunicado.

Esta projeção representa uma revisão em alta face à anterior estimativa, que apontava para um crescimento das insolvências em Portugal em cerca de 16%, em 2023.

Já para este ano, a seguradora de crédito estima que o crescimento do número de insolvências entre as empresas portuguesas seja de cerca de 2%.

O estudo da Allianz Trade concluiu também que, para a Zona Euro, as estimativas apontam para que as insolvências avancem 20% em 2022 e 18% em 2023.

Na União Europeia, as previsões apontam para que as insolvências aumentem 18% neste ano e 17% no próximo ano.

"O velho continente deverá assim ultrapassar os níveis de insolvências pré-pandémicos já neste ano de 2022", apontou a seguradora de crédito.

Quanto à economia mundial, as previsões apontam para uma subida das insolvências de 10% em 2022 e de 19% em 2023, sendo que, nos Estados Unidos da América, o crescimento deverá ser de 2% neste ano e de 38% no próximo ano.

Já a China, deverá ter uma quebra de 7% nas insolvências neste ano, porém, em 2023, deverá registar uma aceleração de 15% das insolvências.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG