Impostos pesaram 56,4% no preço da gasolina simples 95 em dezembro

A cotação do petróleo nos mercados internacionais desceu em dezembro e permitiu uma redução de 3% no preço médio da gasolina e de 1,8% no gasóleo, diz a ERSE.

Com um recuo de 9% das cotações do barril de petróleo nos mercados internacionais, o preço médio de venda ao público da gasolina simples 95 caiu 3% em dezembro, face ao mês anterior, e o do gasóleo foi menor em 1,8%. Mas o peso dos impostos agravou-se. O preço médio da gasolina foi de 1,720 euros por litro, mas 56,4% disto, ou seja, 97 cêntimos, foram exclusivamente para pagar impostos. O custo da matéria-prima e do respetivo frete representou apenas 27,8%, correspondentes a 47,9 cêntimos por litro. No gasóleo, os impostos pesaram 50,6%, correspondentes a quase 80 cêntimos dos 1,578 euros pagos, em média, por litro. Cotação e frete pesaram 31,3%.

Estes são dados do Boletim do Mercado de Combustíveis e GPL, da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), referentes ao mês de dezembro. Em novembro, o preço médio dos combustíveis tinha subido, face a outubro, e estava nos 1,774 euros por litro de gasolina 95 e 1,606 euros no gasóleo. O peso dos impostos era então de 55,2% na gasolina e de 50% no gasóleo.

O boletim mostra ainda que o consumo global de combustíveis cresceu 19,4% em dezembro, face ao período homólogo, correspondendo a um aumento de 102,6 quilotoneladas (kt). O maior contributo adveio do aumento de 77,1% no consumo de jet fuel, o combustível para aeronaves, seguido dos 13,8% a mais nos gastos de gasóleo e dos 20,2% na gasolina. Já o GPL caiu 1,8%. Mas na comparação com o período pré-pandemia, Portugal consumiu em dezembro de 2021 menos 42,7 kt de combustíveis, "observando-se um decréscimo em todos os produtos derivados", destaca a ERSE: a quebra no jet fuel é de 23,4%, no gasóleo é de 3,4% e na gasolina é de 2,5%. Só no GPL o consumo está já acima de 2019, com um acréscimo de 3,9%

Os hipermercados continuam a apresentar as ofertas mais competitivas, diz a ERSE: 1,3% abaixo dos operadores low cost na gasolina e 1,4% abaixo no gasóleo.

Em termos geográficos, o boletim da ERSE mostra que, com um preço de venda ao público médio de 1,705 euros por litro da gasolina simples 95 e 1,564 euros por litro do gasóleo simples, Braga foi o distrito em que menos se pagou pelos combustíveis em dezembro, com uma descida de 0,8% e de 0,9%, respetivamente, face à média nacional. Seguem-se Santarém e Coimbra, com preços de 1,709 e 1,710 euros por litro na gasolina 95 e de 1,566 e 1,567 euros no gasóleo.

Do lado oposto da tabela está Bragança, onde um litro de gasolina 95 custou, em média, 1,742 euros e o gasóleo subiu para os 1,598 euros o litro. Correspondem, em ambos os casos, a mais 1,3% da média nacional. Completam a tabela dos mais caros os distritos de Beja (1,742 euros/litro da gasolina 95 e 1,594 euros do gasóleo), Faro (1,729 e 1,590 euros, respetivamente) e Lisboa (1,729 euros a gasolina e 1,585 euros o gasóleo).

"A diferença de preços médios por litro dos combustíveis rodoviários em Portugal continental é inferior a quatro cêntimos por litro tanto para as gasolinas como para os gasóleos", sublinha a ERSE.

Já o preço de venda ao público das garrafas de gás propano e butano de uso doméstico subiu 1,9% e 2,1%, respetivamente. As garrafas de uso industrial tiveram um agravamento de 2,4% no propano, mas as de gás butano desceram 2% comparativamente a novembro. O GPL auto subiu 1,4%, para um preço médio nacional de 90,7 cêntimos por litro. Destes, 37,3% foram impostos.

ilidia.pinto@dinheirovivo.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG