Hoje T0, amanhã T2. Finangeste aposta em apartamentos que "mexem"

Edifício modular com 20 apartamentos vai nascer na zona do Campo dos Mártires da Pátria, em Lisboa.

Chama-se Young Urban Property e "é como se um T2 e um estúdio tivessem tido um filho". A descrição é de Paul Henri Schelfhout, presidente do Conselho de Administração da Finangest, que investiu cerca de sete milhões de euros na recuperação de um antigo edifício de escritórios na zona do Campo dos Mártires da Pátria, em Lisboa.

A partir do início do próximo ano, o edifício, até aqui devoluto, vai dar lugar a 20 apartamentos cujo conceito "rompe com tudo o que foi feito até agora" na cidade. Na apresentação do projeto, que teve lugar esta terça-feira, os promotores explicaram que o YUP é destinado a um público "jovem e urbano", voltado para a tecnologia.

Na prática, o YUP será um edifício modular, composto por apartamentos com painéis de madeira deslizantes, que permitem alterar a disposição das divisões da casa. O imóvel, que estará pronto em meados de 2021, terá ainda áreas comuns com ginásio, lavandaria e uma sala de refeições, "porque são equipamentos de uso ocasional que, para muita gente, não faz sentido ter em casa".

"Há projetos fantásticos a surgir em Portugal mas todos têm o mesmo registo. São projetos "educados" ou "bem-comportados". Este projeto é para ser lido como volume e não como planta, pois possível brincar com o espaço. Num dia o proprietário pode ter um T1 e no dia seguinte, conforme a sua necessidade, pode transformá-lo num T2 ou num T0", sublinha o arquiteto responsável pelo projeto, Eduardo Capinha Lopes.

Leia o artigo completo no Dinheiro Vivo

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG