Grupo Mello rejeita proposta para prolongar PPP de Vila Franca

Governo comunicou em maio que não renovaria o contrato, mas queria manter a gestão mais três anos até decidir futuro de unidade onde a poupança atingiu os 56 milhões, segundo contas de unidade técnica do governo.

Nem mais um dia. O grupo Mello rejeitou a proposta do governo para manter a gestão do Hospital de Vila Franca por mais "dois ou três anos após o fim do contrato, até que fosse tomada uma decisão do Estado sobre o modelo de gestão futuro". Sendo certo que a parceria público-privada não seria renovada, conforme decisão comunicada à José de Mello Saúde (JMS) neste verão.

O grupo dono da CUF deixará, portanto, de estar aos comandos do Hospital - que a Entidade Reguladora da Saúde pôs entre os três melhores do país - na data prevista no contrato: 31 de maio de 2021.

Chega assim ao fim uma parceria que, segundo os números da Comissão Técnica de Acompanhamento de Projetos (que inclui técnicos das Finanças e da Saúde) divulgados em julho, permitiu ao Estado poupar pelo menos 56 milhões de euros em sete anos.

Poupança de 250 milhões em duas PPP. Técnicos recomendam renovação. Leia aqui

No próprio documento de denúncia do contrato com o grupo Mello, o governo pedia tempo para decidir sobre o futuro daquele hospital, propondo à entidade gestora "a possibilidade de o contrato ser renovado por um período não superior a 24 meses, prorrogável por 12 meses, de forma a garantir a implementação das decisões que venham a ser tomadas". A JMS comprometeu-se a analisar o pedido de prolongamento do contrato, que o próprio Estado sublinhava, no mesmo documento, ser "o reconhecimento da qualidade da gestão atual e dos serviços prestados à população pelo Hospital Vila Franca de Xira".

Os melhores hospitais do país? São três PPP. Leia aqui

O governo anunciou em maio que não iria renovar a PPP de Vila Franca (por dez anos). Mesmo depois de os autarcas dos cinco municípios servidos por aquela unidade (Alenquer, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Vila Franca de Xira e Benavente), socialistas e do PCP, se terem juntado para defender a continuidade da gestão de "um dos melhores hospitais do país". "A resposta que o hospital tem dado às populações é muito positiva e os munícipes estão satisfeitos com os cuidados de saúde prestados", sublinharam os autarcas numa missiva conjunta (que pode ler aqui), em junho.

Joana Petiz é jornalista do Dinheiro Vivo

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras